Gestão Financeira com Controle de Custos

Marcio Sanson
//

Com a crise, todos nós empresários estamos revendo as receitas para equilibrar o caixa. Isso significa que estamos também revendo os nossos custos, sejam eles operacionais, administrativos ou de perdas, por exemplo.

O Controle de Custos passou a ser prioridade número 1 para uma boa gestão financeira, pois é aqui o ponta pé inicial para pequena e média empresa saber se está cobrando valores competitivos, que se paguem e ainda deem lucro.

Importante saber que existem custos fixos (aluguel, salários, fornecedores, etc) e variáveis (comissões, multas, publicidade, etc) e que se fizer um com Controle de Custos você chegará na rentabilidade, desempenho da empresa e em um planejamento estratégico mais assertivo.

Falando assim parece uma tarefa fácil, mas não é. Infelizmente, muitos empresários ainda tentam fazer isso com planilhas de Excel setorizadas e descentralizadas e que sofrem intervenções humanas. Já ouvimos casos de gestores que entregam planilhas para os sócios-diretores com dados incoerentes e ao serem questionados disseram que fizeram bater os números, mascarando completamente os resultados operacionais da organização.

Com um ERP o Controle de Custos passa a ser uma atividade rotineira, pois torna a ação muito mais rápida, centralizando as informações e mostrando os números reais aos líderes. Sabendo que seu financeiro ainda tem que ter a flexibilidade de gerir os custos de forma alinhada as estratégias do tipo de negócio.

No UNO ERP, por exemplo, existem várias as formas de Controle de Custos para gestão de despesas, financeiro e rateio por centro de custo, que o financeiro da sua empresa pode adotar, seja um rateio de cálculo dos custos dos produtos acabados ou até mesmo dos serviços prestados (horas/homem, deslocamentos, peças, alimentação, etc).

Também é possível fazer rateios por centro de custos e a classificação fiscal e separar os tributos/impostos por produtos e serviços. Outras facilidades que valem destacar, são a criação de títulos periódicos (aluguel, água, luz, telefone e luz) e o relatório detalhado de despesas por centro de custo.