O que é Indústria 4.0?

Cintia Tombolato
21/01/2020
Você já deve ter ouvido falar da Indústria 4.0, se nunca ouviu, CUIDADO! Você pode ficar fora do mercado por falta de preparo! Descubra o que é neste post.

 

Uma pesquisa realizada pelo Fiesp com empresas brasileiras, revelou que 32% dos entrevistados não tinham ouvido falar em 4ª Revolução Industrial, Indústria 4.0 ou Manufatura Avançada. Então, eis aqui a oportunidade de saber mais sobre o assunto!

Na escola, nas aulas de história você deve ter aprendido sobre as 3 Revoluções Industriais, sobre o Fordismo, produção em massa, as linhas de montagem, Sistema Toyota, e a tecnologia da informação…

Porém, o que você pode ainda não ter notado, é que estamos vivendo a 4ª Revolução Industrial, que traz um conjunto de tecnologias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico.

Esse novo fato histórico, traz consigo um impacto mais profundo e exponencial, trazendo a tona a Indústria 4.0.

 

Indústria 4.0

É um conceito novo, pois apresenta uma nova forma de atender as necessidades dos consumidores com auxílio das principais tecnologias que se integram.

Nessa nova era, as tecnologias criam condições para as empresas serem mais rápidas e assertivas, com a customização em massa de produtos e a otimização de suas cadeias de valor.

Isso se tornou possível com a conectividade, que proporcionou acessarmos informações instantaneamente através de objetos, sensores, equipamentos e sistemas “4.0”: IA – Inteligência Artificial, IoT – Internet das Coisas, SynBio – Biologia Sintética, comunicação dos objetos com a fábrica, meio da Impressão 3D, e os CPS – Sistemas Cyber Físicos.

 

Glossário da Indústria 4.0

Manufatura Aditiva ou Impressão 3D
É a adição de material para fabricar objetos, formados por várias peças, constituindo uma montagem. Imagina que o consumidor pode imprimir em casa o seu produto!

IA – Inteligência Artificial
É um segmento da computação que busca simular a capacidade humana de raciocinar, tomar decisões, resolver problemas, dotando softwares e robôs de uma capacidade de automatizarem vários processos. São aqueles robôs japoneses que vemos da TV.

IoT – Internet das Coisas
Internet das Coisas representa a possibilidade de que objetos físicos estejam conectados à internet podendo assim executar de forma coordenada uma determinada ação.
O Uber já está fazendo isso para substituir os motoristas, utilizando carros autônomos, que se comunicam entre si e definem o melhor trajeto. Será a maior empresa de transporte de passageiros sem de motoristas do mundo!
PS: Há 3 anos  ninguém diria que em 2018 seriam a maior empresa de passageiros, sem carros próprios.

SynBio – Biologia Sintética
É a convergência de novos desenvolvimentos tecnológicos nas áreas de química, biologia, ciência da computação e engenharia, permitindo o projeto e construção de novas partes biológicas tais como enzimas, células, circuitos genéticos e redesenho de sistemas biológicos existentes. Imagine robôs no agronegócio, que aprendem e desenvolvem agrotóxicos para novas doenças sozinhos, muito em breve já será uma realidade.

CPS – Sistemas Ciber Físicos
Sintetizam a fusão entre o mundo físico e digital. Dentro desse conceito, todo o objeto físico (seja uma máquina ou um linha de produção) e os processos físicos que ocorrem, em função desse objeto, são digitalizados. Ou seja, todos os objetos e processos na fábrica tem um irmão gêmeo digital.

 


Desafios e Oportunidades

Existem grandes desafios e oportunidades para as empresas brasileiras, tanto que a PwC levantou que apenas 9% das empresas brasileiras se classificam como realmente avançadas na digitalização.

Além disso, há evidências claras de que os empresários brasileiros precisam se inovar e migrar para a Indústria 4, já que juntas, nossas empresas ocupam a 69ª colocação no Índice Global de Inovação, segundo o Governo Federal.

O próximo passo é conhecer quais são os desafios, tendo como resultado que Recursos e Estratégia foram apontados como principais desafios, na pesquisa feita pelo Fiesp. Outros desafios também foram apontados: Gestão, Tecnologia e Mão de Obra.

 

Mão de Obra

A Indústria 4.0 está mudando a forma como consumimos produtos e serviços. Consequentemente, terá impactos sociais e nos empregos.

Em nosso país, onde já um déficit de mão de obra qualificada, é necessário engajar os profissionais e treiná-los para que desempenhem novas funções no curto e médio prazo.

Visto que especialistas já estimam, que postos de trabalho executados por humanos vão deixar de existir. Em curto prazo, a automação terá um impacto mais forte em profissões menos qualificadas.

 

Estratégia

Utilizar a transformação digital para gerar valor à marca e se adaptar às novas demandas de mercado e dos consumidores, que também mudaram e avançaram digitalmente.

Ou seja, a Indústria 4.0 são modelos de negócio realmente inovadores, que geram vantagens competitivas significativas e sustentáveis para as empresas.

O tempo que a sua empresa levará para evoluir frente à concorrência também é crucial na estratégia do seu negócio. Por isso, corra e comece o quanto antes para sair na frente, pois aqui há uma oportunidade.

 

Recursos e Tecnologia
(acessível $ para PME)

A Gartner divulgou que até 2020 haverá 50 bilhões de equipamentos conectados à internet. Importante saber que não serão apenas  computadores, smartphones e tablets. Estamos falando de máquinas, ferramentas, robôs, drones, geladeiras…

Isso significa uma redução significativa no preço dos dispositivos. Logo, o investimento necessário será cada vez menor.

 

Gestão

Gerir uma empresa 4.0 é ter processos bem definidos e cumpridos, o que é uma dificuldade grande para o “jeitinho brasileiro”.

É fundamental atingir uma excelência operacional e utilizar as tecnologias nos processos para evoluir, pois elas levarão à resultados que os recursos tradicionais não alcançam.

Neste contexto da 4ª Revolução o ERP tem papel indispensável e é um exemplo de tecnologia para a gestão, sim, estou puxando sardinha para o nosso lado.

O sistema de gestão empresa é fundamental, pois facilita a visualização de informações gerenciais importantes, confronta os resultados e o planejado, diminui o retrabalho, aumenta a produtividade, centraliza informações e gerencia todos os processos em tempo real de forma ágil e dinâmica.