Sistema de Gestão Financeira Online pode sanar 3 dores comuns da PME

Cintia Tombolato
20/06/2018
Separamos 3 dores comuns enfrentadas pelos gestores financeiros e como resolvê-los com um Sistema de Gestão Financeira Online (ERP).

 

O empresário brasileiro vive um momento que sente pagar a cada mês mais impostos, ao mesmo tempo que não vê suas receitas aumentarem e seus custos diminuírem.

Cuidar da saúde financeira da sua empresa é essencial para não ficar somente no sentir e começar a trabalhar com certezas. Mas o que realmente diz se sua empresa está saudável ou não?

O primeiro passo é reconhecer que seu CFO (Chief Financial Officer – Diretor Financeiro) tem problemas na gestão e que precisa de ajuda para organizar as finanças.

Investigue o tamanho da dificuldade, pondere que nem sempre o saldo negativo no banco evidencia a dimensão do problema.

Sabendo disso tudo, separamos 3 dores comuns enfrentadas pelos gestores financeiros baseada nas nossas próprias experiências para você mensurar o tamanho do seu problema e resolvê-lo com um Sistema de Gestão Financeira (ERP):

 

1. Comece pela Bagunça

Se você tem a empresa organizada, meus parabéns! Já está na frente de boa parte dos seus concorrente.

Muitas empresas, mais do que você imagina, cresceram junto com as obrigações e responsabilidades e teimam em não reconhecer que já não é mais possível dar conta do recado sem um bom Sistema de Gestão Financeira integrando todas as áreas envolvidas no negócio.

Mesmo quando a empresa já criou um setor financeiro, os sócios não devem se isentar do acompanhamento de tudo, principalmente, de como está a situação financeira.

Para isso, ter o Fluxo de Caixa organizado e atualizado diariamente com fechamentos periódicos é essencial e básico.

Veja como funciona um Fluxo de Caixa de um Sistema de Gestão Financeira integrado:

Os lançamentos no Fluxo de Caixa devem estar precisos, a ponto de você saber exatamente quanto e quando haverão entradas e retiradas.

Infelizmente, com planilhas de Excel as incertezas e insegurança de erros persistirão.

 

2. Confiança nos números

Organizar o fluxo de caixa exige o abandona total das anotações em pedaços de papel ou planilhas.

Esse costume equivocado faz com que informações importantes possam ser perdidas e ainda confundir no momento de fechar o mês.

Um Sistema de Gestão Financeira armazena todos os dados e facilitará o acesso dos profissionais da área.

Com isso, diminuirá a margem de erro no fluxo de caixa e, consequentemente, confiará mais nos dados para definir seu planejamento financeiro.

Sugiro que leia o post O Segredo do Sucesso no Software Financeiro Integrado que falo bastante sobre a perspectiva financeira na gestão e no planejamento estratégico.

Veja que para cumprir todas as obrigações e metas financeiras será necessário precisão no números, desta forma, as chances de problemas fiscais e pagamentos atrasados quase inexistem, podem até desaparecer os custos com juros após o vencimento de prazos e eventuais problemas na justiça.

 

3. Previsibilidade

Ter as finanças organizadas não é suficiente. Uma PME com boa gestão utiliza o Sistema de Gestão Financeira para ter registro dos seus históricos financeiros integrado com as projeções de vendas e com planejamento estratégico para criar o planejamento financeiro em três cenários: otimista, regular e pessimista.

Apenas com essa previsibilidade é que o CEO (Chief Executive Officer – Diretor Executivo) consegue tomar decisões estratégicas junto com o corpo diretivo, que pode ir desde a descontinuação de algum produto até novas contratações, por exemplo.

Sem um bom Sistema de Gestão Financeira com demonstrativos de Resultados Financeiros é praticamente impossível ter a previsão do capital de giro para alguns investimentos, ou se é preciso um financiamento.

Os gestores poderão aproveitar melhor uma oportunidade e saber rapidamente se terá condição de investir nela.

Veja um exemplo de Resultado Financeiro com ERP para uma projeção de fluxo de caixa, com demonstrativo todos os pagamentos e recebimentos que são esperados em determinado período.

Lembre-se apenas que o Sistema de Gestão Financeira não fará sozinho uma análise dos resultados financeiros mensais/trimestrais/anuais, por isso, reserve um tempo para essa apuração e veja tudo que aconteceu nas finanças da sua empresa nesse período que passou.

Dessa forma, terá uma visão mais abrangente que no novo período não repita o que deu errado.

 

Resumindo:

O Sistema de Gestão Financeira pode ajudar com esses 3 gargalos que trarão os seguintes resultados na prática:

  • Acompanhamento dos Resultados Financeiros periódicos.
  • Gestão do Fluxo de Caixa real time.
  • Definição de orçamentos e potencial de investimento.
  • Ter tempo hábil para fazer essa gestão preventiva.

AINDA COM DÚVIDAS? FALE CONOSCO